Estilo de Vida, Saúde

Saiba qual o melhor tratamento!!

Olá pipow!

Diariamente eu me pego refletindo sobre práticas em saúde e o papel de cada uma delas na tentativa de tratar a população. Se funcionam, se são aceitas, como se explicam e como trabalham com seus pacientes.

O universo da saúde é tão amplo que gera discussões calorosas! Já vi colega se exaltar afirmando que uma prática “x” é um desserviço e que deveria ser ilegal. Já vi colega defendendo certas técnicas como se fossem as únicas com resultados reais no mundo. Enfim, esse assunto dá muito “pano para a manga”.

O fato é que ainda conhecemos pouco daquilo que nos cerca e que pode realmente afetar a nossa saúde. E o pouco que conhecemos está cercado de nuances e variáveis que confundem qualquer profissional da saúde.  A maior parte dos tratamentos em saúde só conseguem seguir uma linha de raciocínio. Dificilmente aceitam quem segue outra e aí começam as polêmicas. Mas quando passamos para a prática vemos que tratamentos cientificamente comprovados falham enquanto que práticas consideradas “bizarras” pela nossa sociedade mecanicista podem agregar na saúde de certas comunidades.

Na minha leitura mais simplista eu diria que para que um tratamento dê certo ele tem sim que ter uma ciência por trás, ou seja, conhecimento profundo, prática, experiência, mas o problema está na definição de ciência. Ela é aquilo que explica a dor no joelho levada por uma inflamação do tendão por causa de um jogo de futebol ou ela é a aquilo que explica que dores nos joelhos estão relacionadas com nossa dificuldade em ceder, como falam algumas teorias orientais.

Se você procurar um cirurgião e falar do seu problema no joelho ele provavelmente irá sugerir uma cirurgia, se você procurar um clínico ele te recomendará alguns medicamentos, se você procurar um fisioterapeuta ele rapidamente encontrará músculos fracos e encurtados e aí segue passeio, cada um com sua visão, sua técnica, sua ciência.

A verdade é que a nossa cultura próxima é o que nos atinge enquanto que o distante nos causa estranheza, isso se aplica também nos tratamentos de saúde que escolhemos. Por isso acho tão complicado ridicularizar técnicas ou enaltecer tratamentos. Gosto de teorias, de ciências (palavra no plural), gosto do que faz bem e acredito que isso para todo o sempre será relativo. Foi libertador para mim entender que mesmo estudando tanto e seguindo perfeitamente uma ciência eu não vou conseguir ajudar a todos os meus pacientes.

Quando nossos mentores batem na tecla de “encontrar aquilo que te faz bem” eles querem dizer que cada um, com suas crenças, influências ambientais e capacidades intelectuais, vai encontrar no universo da saúde aquilo que lhe faz mais sentido e que seja um verdadeiro tratamento. Não tem como fugir da sua responsabilidade nesse processo.

Na minha opinião temos teorias lindas e muita ciência em prática mas ainda estamos muito longe de termos todas as explicações.

Abraços!